Jogos do tempo e processos de identificação hegemonizados nos textos curriculares de História

Carmen Teresa Gabriel

Resumo


As pesquisas em ensino de história tendem a evidenciar a importância das questões de temporalidade e de identidade para a reflexão sobre os processos de produção e de distribuição desse conhecimento. O professor de História é sistematicamente interpelado e convocado a contribuir na construção e fixação de identidades  por meio da mobilização de experiências (passado) e projetos (futuro) coletivos e individuais selecionados como conteúdos a serem ensinados em cada presente. Em diálogo com as teorizações do discurso e os estudos narrativos, este texto tem por objetivo explorar os jogos do tempo que articulam passado, presente e futuro nas narrativas identitárias hegemonizadas nos Parâmetros Curriculares Nacionais de História que tem como leitor potencial o professor desta disciplina.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v4i8.193

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Carmen Teresa Gabriel

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia