Decantando a República: um encontro entre o historiador e o compositor popular

Bruno Viveiros Martins

Resumo


O artigo tem por objetivo analisar as possibilidades de construção e divulgação do conhecimento histórico realizadas pelo programa Decantando a República, veiculado pela Rádio UFMG Educativa 104,5 FM. Criado em 2005, o programa propõe um diálogo entre a linguagem musical e o contexto histórico, social e político no qual ela se faz presente. Dessa forma, a canção é pensada como um suporte de circulação de ideias, princípios e valores. O compositor popular seria um intérprete capaz de pensar o país e sua história. Nesse caso, sua narrativa percorre os hiatos do tempo à procura de eventos, personagens e ações com os quais ele constrói uma rede emaranhada e descontínua de experiências históricas.

 

Palavras-chave: rádio; ensino de história; canção popular.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Maria Helena M. Estado e oposição no Brasil (1964-1984). São Paulo: Edusc, 2005.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. Trad. Mauro Barbosa de Almeida. São Paulo: Perspectiva, 1988.

AUSTIN, John. Quando dizer é fazer: palavras e ação. Trad. Danilo Marcondes de Souza Filho. Porto Alegre: Artes médicas, 1990.

BALTA, Marcos. Rádio escolar: uma experiência de letramento midiático. São Paulo: Cortez, 2012.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1987.

CASTRO, Maria Ceres et al. Segundo Encontro Nacional de Rádio Ciência. Belo Horizonte: Cedecom/UFMG, 2008.

CONTIER, Arnaldo. Música e História. Revista de História, São Paulo, n.119, p.69-89, jul./dez. 1988. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/18572.

HARTOG, François. O espelho de Heródoto: ensaios sobre a representação do outro. Trad. Jacyntho Lins Brandão. Belo Horizonte: UFMG, 1999.

_______. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Trad. Andréa Souza de Menezes. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

JASMIN, Marcelo; FERES Jr, João. (Org.) História dos conceitos: diálogos e perspectivas. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2006.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Trad. Wilma Maas, Carlos Pereira e César Benjamin. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; Contraponto, 2012.

MARTINS, Franklin. Quem foi que inventou o Brasil? A música popular conta a história da República. São Paulo: Nova Fronteira, 2015. vols. I, II e III.

MATOS, Cláudia; TRAVASSOS, Elizabeth; MEDEIROS, Fernanda (Org.) Ao encontro da palavra cantada: poesia, música e voz. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2001.

MELLO, Zuza H. de; ZEVERIANO, Jairo. A canção no tempo: 85 anos de músicas brasileiras. São Paulo: Ed. 34, 1999. vols. I e II.

MIRANDA, Wander. Brutalidade e jardim: tons da nação na música brasileira. In: STARLING, Heloisa; EISENBERG, José; CAVALCANTE, Berenice (Org.) Decantando a república: inventário histórico e político da canção popular brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004. vols. 1, 2 e 3.

MORAES, José Geraldo V. História e música: canção popular e conhecimento histórico. Revista Brasileira de História, São Paulo, v.20, n.39, p.203-221, 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-01882000000100009〈=pt.

NAPOLITANO, Marcos. História & Música. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

NAVES, Santuza. Canção popular no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

NETO, Lira. Getúlio. São Paulo: Companhia das letras, 2012-2014. vols. I, II e III.

POCOCK, John. Linguagens do ideário político. São Paulo: Edusp, 2003.

PRADO, Magaly. História do rádio no Brasil. São Paulo: Ed. da Boa Prosa, 2012.

SKINNER, Quentin. Significado y comprensión en la historia de las ideas. Prismas, Revista de historia intelectual, Buenos Aires: Universidad Nacional de Quilmes, n.4, 2000.

STARLING, Heloisa; EISENBERG, José; CAVALCANTE, Berenice (Org.) Decantando a república: inventário histórico e político da canção popular brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004. vols. 1, 2 e 3.

TATIT, Luiz. O cancionista: composição de canções no Brasil. São Paulo: Edusp, 2002.

WHITE, Hayden. Meta-História: a imaginação histórica do século XIX. Trad. José Laurenio de Melo. São Paulo: Edusp, 1992.

_______. Teoria literária e escrita da história. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.7, n.13, p.21-48, 1994. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/1978.

WISNIK, José Miguel. Sem receita: ensaios e canções. São Paulo: Publifolha, 2004.

Artigo recebido em 2 de novembro de 2016. Aprovado em 5 de janeiro de 2017.




DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v6i11.316

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Bruno Viveiros Martins

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia