As três durações de Fernand Braudel no Ensino de História: proposta de atividade

Ricardo Marques de Mello

Resumo


O artigo apresenta o desenvolvimento de uma atividade com alunos da Graduação em História, Professores de História da rede básica de ensino e mestrandos em História acerca da presença múltipla das durações (curta, média e longa) no nosso dia a dia. Como base teórica, usei as ideias de Fernand Braudel (2007); como recurso metodológico, percorremos um trajeto predefinido dentro da cidade de Campo Mourão (PR), a fim de observar como o tempo se manifesta na cidade das mais diferentes formas. Entre os resultados mais evidentes, boa parte dos educandos conseguiu apurar sua percepção sobre como o tempo se expressa em objetos, valores e estabelecimentos, tanto com exemplos usados por eles, quanto mediante discussões que desnaturaram determinadas construções físicas, ideias e relações sociais.

 Palavras-chave: durações; Fernand Braudel; atividade extraclasse; ensino de História.


Texto completo:

PDF

Referências


BLOCH, Marc. Apologia da história ou o ofício de historiador. Trad. André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BRAUDEL, Fernand. História e Ciências Sociais: a longa duração. In: _______. Escritos sobre a História. Trad. J. Guinburg e Tereza Cristina Silveira da Mota. São Paulo: Perspectiva, 2007. p.41-78.

DOSSE, François; DELACROIX, Christian; GARCIA, Patrick. As correntes histórias na França: séculos XIX e XX. Trad. Roberto Ferreira Leal. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2012.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

ELIAS, Norbert. Sobre o tempo. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

HARTOG, F. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Trad. Andréa Souza de Menezes [et al.]. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

HEMPEL, Carl. A Função de Leis Gerais em História. In: GARDINER, Patrick. Teorias da História. 5.ed. Trad. Vítor Matos e Sá. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004. p.421-435.

KOSELLECK, R. Estratos do tempo: estudos sobre História. Trad. Markus Hediger. Rio de Janeiro: Contraponto; Ed. PUC-Rio, 2014.

_______. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Trad. Wilma Patrícia Maas e Carlos Almeida Pereira. Rio de Janeiro: Contraponto; Ed. PUC-Rio, 2006.

_______. et al. O conceito de História. Trad. René Gertz. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Anthropologie structurale. Paris: Plon, 1958.

REIS, José C. História da História (1950/1960). História e Estruturalismo: Braudel versus Lévi-Strauss. História da Historiografia, n.1, p.8-18, ago. 2008.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Trad. Alain François. Campinas: Ed. Unicamp, 2007.

_______. Tempo e narrativa: a intriga e a narrativa histórica. Trad. Claudia Berliner. São Paulo: Martins Fontes, 2010. v.1.

RÜSEN, Jörn. Aprendizagem histórica: fundamentos e paradigmas. Curitiba: W.A. Editores, 2012.

_______. Razão Histórica. Teoria da História: os fundamentos da ciência histórica. Trad. Estevão Martins. Brasília: Ed. UnB, 2001.

_______. et al. Jörn Rüsen e o ensino de história. Trad. Marcos Roberto Kusnick [et al.]. Curitiba: Ed. UFPR, 2011.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. Trad. José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

Artigo recebido em 28 de novembro de 2016. Aprovado em 12 de janeiro de 2017.




DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v6i11.330

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Ricardo Marques de Mello

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia