Ensino de História e temas sensíveis: abordagens teórico-metodológicas

Carmem Zeli de Vargas Gil, Jonas Camargo

Resumo


O propósito deste artigo é apresentar reflexões sobre o trabalho com temas sensíveis no contexto do ensino (disciplina de Estágio de docência em História) e da pesquisa (dissertação de Mestrado Profissional em Ensino de História). Apresentamos a escrita na forma de um diálogo a muitas mãos que busca compreender os sentidos atribuídos pelos atores-em-relação ao processo vivido em aulas de História. Esta forma de escrita se sustenta também na concepção de que a abordagem de temas sensíveis reivindica um registro o mais plural possível, possibilitando que diferentes vozes se apresentem no diálogo: a professora, o professor, os alunos, as alunas, os acadêmicos e as acadêmicas, os autores e as autoras escolhidos.


Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTI, Verena. Palestra proferida no IV Colóquio Nacional História Cultural e Sensibilidades, realizado no Centro de Ensino Superior do Seridó (Ceres) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Caicó (RN), de 17 a 21 de novembro de 2014.

ARAUJO, Maria Paula; SILVA, Izabel Pimentel da; SANTOS, Desirree dos Reis. (Orgs.) Ditadura Militar e Democracia no Brasil: História, Imagem e Testemunho. 1 ed. Rio de Janeiro: Ponteio, 48p., 2013.

BLOCH, Marc. Introdução à História. Lisboa: Publicações Europa-América, 1997.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica / Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

CHERVEL, Andre. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa.

HOBSBAWM, Eric. Sobre história. Tradução de Cid Knipel Moreira. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

FALAIZE, Benoit. O ensino de temas controversos na escola francesa: os novos fundamentos da história escolar na França? Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 6, n. 11, p. 224‐253,jan./abr. 2014. Título original: L’enseignementdessujetscontroversésdansl‘écolefrançaise :les nouveaux fondements de l'histoirescolaireen France ? Traduzido por Fabrício Coelho.

GINZBURG, Carlo. Nove entrevistas. São Paulo: Unesp. (Entrevista a Maria Lúcia Garcia Pallares-Burke). In: PALLARES-BURKE, M. L. G. As muitas faces da história. Nove entrevistas. São Paulo: Unesp. 2000.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. EnRevista Brasilera de História da Educação, 1, 2001, p.9-43.

MÉVEL, Yannick; TUTIAUX-GUILLON, Nicole. Didactique et Enseignement de l’Historie-géographieauCollège et auLycée. Paris: Publibook, 2013.

PAGÉS, Joan. Aprender Enseñar Historia y CienciasSociales: el currículo y ladidáctica de lasCienciasSociales. Pensamiento Educativo. Vol. 30, julio de 2002, p. 255-269.

SIMON, Nina. The participatorymuseum. Disponível em: Acesso em: 02 abr. 2017

VILAR, Pierre. Pensar historicamente. Barcelona: Crítica, 1997, 240 p.




DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v7i13.430

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Carmem Zeli de Vargas Gil, Jonas Camargo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia