Por um ensino de história que faça sentido: análise das concepções de história de alunos do Ensino Médio

Ana Paula Rodrigues Carvalho

Resumo


Este artigo tem por objetivo debater acerca dos sentidos da história com base no conceito de consciência histórica de Jörn Rüsen. De acordo com Rüsen, os seres humanos precisam interpretar o mundo ao seu redor e a si mesmos na relação com os outros para poder viver. E eles o fazem por meio da formação de sentido, na qual a interpretação sobre a experiência temporal pode ser mobilizada de modo a entender o presente e projetar o futuro. Neste sentido, o ensino de história adquire valor essencial, pois o conhecimento sobre o passado atua como um fator de orientação temporal na vida prática. A partir desta premissa, 82 alunos do Ensino Médio da cidade de Guarapuava/PR, foram interrogados a respeito das suas concepções de história. Com base na análise das narrativas obtidas concluiu-se que a concepção de história dos participantes permanece ainda ancorada em uma ideia de história responsável pelo estudo do passado e sem nenhum tipo de vínculo com questões presentes ou futuras. Por mais que estes alunos estão constantemente mobilizando saberes provenientes de sua experiência temporal, a maioria deles não percebe os sentidos da história na sua vida prática.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. Da história detalhe à história problema: o erudito e o intelectual na elaboração do ensino e do saber histórico. Locus: revista de história, v. 10, n. 2, p.53-72, 2004.

CERRI, L. Fernando. Ensino de história e consciência histórica. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011.

DE CERTEAU, Michel. História e psicanálise: entre ciência e ficção. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

¬¬__________. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

GÓMEZ, Cosme Jesús; ORTUÑO, Jorge; MOLINA, Sebastián. Aprender a pensar históricamente. Retos para la historia en el siglo XXI. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 6, n.11, p. 05-27, 2014.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto: PUC-Rio, 2006.

LEE, Peter. Em direção a um conceito de literacia histórica: Towards a concept of historical literacy. Educar, Curitiba, Especial, Editora UFPR, p. 131-150, 2006.

__________. Historical Literacy and Transformative History. In: PERIKLEOUS, L.; SHEMILT, D. (ed.). The future of the past: Why history education matters. Association for Historical Dialogue and Research, 2011.

MARTIN, Hervé; BOURDÉ, Guy. As escolas históricas. Trad. Jacyntho Lins Brandão. Lisboa: Editora Europa-América, 2000.

RICOEUR, Paul. Hermenêutica e ideologias. 3 ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

RÜSEN, Jörn. Razão Histórica. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2011.

__________. História viva: teoria da história: formas e funções do conhecimento histórico. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2010.

__________. Narratividade e objetividade na Ciência Histórica. Estudos Ibero- Americanos, Porto Alegre, v.24, n.2, p.311-335, 1998.

WHITE, Hayden. Trópicos do Discurso: Ensaios sobre a Crítica da Cultura. São Paulo: Editora da USP, 1994.




DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v8i16.516

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Ana Paula Rodrigues Carvalho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia