Ensino de História, direitos humanos e narrativas: potencialidades da pesquisa-formação

Felipe Rodrigues da Silva, Raquel ALS Venera

Resumo


Este artigo tem como objetivo revisitar as trajetórias da educação em e para os Direitos Humanos no Brasil e discutir uma possibilidade prática de formação de professores de história em e para os Direitos Humanos a partir da ferramenta de pesquisa-formação denominada ateliê (auto)biográfico. O ateliê é parte de uma pesquisa de doutorado em andamento e os atores da pesquisa são professores de História em formação e bolsistas do PIBID. Iniciamos refletindo sobre os caminhos que a educação em e para os Direitos Humanos tem trilhado nas últimas décadas no Brasil e como estas trajetórias implicam no ensino de história. Em seguida apresentamos e discutimos o ateliê para defender a ideia de que ele tem a capacidade de promover reflexões e práticas relacionadas aos Direitos Humanos e contribuir com a formação para a docência no ensino de história.


Texto completo:

PDF

Referências


ABRAHÃO, Maria Helena Menna-Barreto. Intencionalidade, reflexividade, experiência e identidade em pesquisa (auto)biográfica: dimensões epistemo-empíricas em narrativas de formação. In: ABRHÃO, M.H.M.B; BRAGANÇA, I.F.S; FERREIRA, M.S. Pesquisa (Auto)biográfica: conhecimentos, experiências e sentidos. Curitiba: CRV, 2016. p.29-50.

BERKENBROCK-ROSITO, Margarete May. No espaço da narrativa de si. In: FONTOURA, Helena Amaral da; LELIS, Alice Oswald Monteiro; CHAVES, Iduina Mont’Alverne. Espaços Formativos, Memórias e Narrativas. Curitiba: Editora CRV, 2014. p.187-202.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2015. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/508200/CF88_EC85.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: Acesso em: 22 jul. 2020.

______. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2019. Disponível em:http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 22 jul. 2020.

______. LDB: Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/529732/lei_de_diretrizes_e_bases_1ed.pdf. Acesso em: 22 jul. 2020.

______. Ministério da Educação/CNE. Resolução, Nº 1, de 30 de maio de 2012. Estabelece Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rcp001_12.pdf. Acesso em: 22 jul. 2020.

______. Ministério da Educação/CNE. Resolução, Nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file. Acesso em: 22 jul. 2020.

______. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO, 2007. Disponível em: https://www.gov.br/mdh/pt-br/navegue-por-temas/educacao-em-direitos-humanos/DIAGRMAOPNEDH.pdf. Acesso em: 22 jul. 2020.

COSTA, Conceição Leal da. Traços de vida e(m) narrativas de (trans)formação. In: FURLANETTO, E. C.; NACARATO, A. M.; GONÇALVES, T. V. O. (orgs.). Espaços formativos, trajetórias de vida e narrativas docentes. Curitiba: CRV, 2018. p.73-98.

DELORY-MOMBERGER, Christine. As histórias de vida. Da invenção de si ao projeto de formação. Natal: UFRN; Porto Alegre: PUCRS; Salvador: UNEB, 2014.

FRISON, Maria Lourdes Bragagnolo. Narrativas de professores iniciantes – ex-bolsistas do PIBID: dispositivo de formação articulado à autorregulação da aprendizagem. In: VICENTINI, P. P.; CUNHA, J. L.; CARDOSO, Lilian, Auxiliadora Maciel (orgs.). Experiências formativas e práticas de iniciação à docência. Curitiba: CRV, 2018. p.89-104.

HENRIQUES, Eda Maria de Oliveira. Dimensões subjetivas, sociais e formativas do aporte (auto)biográfico em educação: alguns aspectos epistemológicos e metodológicos. In: FURLANETTO, E. C.; NACARATO, A. M.; GONÇALVES, T. V. O. (orgs.). Espaços formativos, trajetórias de vida e narrativas docentes. Curitiba: CRV, 2018. p.43-54.

JOSSO, Marie-Christine. As narrações do corpo nos relatos de vida e suas articulações com os vários níveis de profundidade do cuidado de si. In: VICENTINI, P. P.; ABRAHÃO, M. H. M. B. (orgs.) Sentidos, Potencialidades e Usos da (auto)biografia. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. p.171-192.

LAPOINTE, Serge. Encontro de si em história de vida: o aporte das histórias de vida na formação em “sentidos e projetos de vida”. In: VICENTINI, P. P.; ABRAHÃO, M. H. M. B. (orgs.) Sentidos, Potencialidades e Usos da (auto)biografia. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. p.145-167.

MAUÉS, Antonio; WEYL, Paulo. Fundamentos e marcos jurídicos da educação em direitos humanos. In: SILVEIRA, Rosa Maria Godoy et al. Educação em direitos humanos: Fundamentos teórico-metodológicos. Editora Universitária: João Pessoa, 2007.

MIDLEJ, Jussara; PEREIRA, Marcos Villela. As histórias de vida como tramas de fios na composição da professoralidade. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, v. 1, n. 3, p. 551-563, 13 dez. 2016. Disponível em: http://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/3004. Acesso em: 22 jul. 2020.

MONTEIRO, F. A.; FORTES, A. T.; EVANGELISTA, E. G.; MARIANI, F.; IDA, L. LISBOA, W. Narrativas de formação-investigação como lugar de aprendizagens em contexto colaborativo. In: VICENTINI, P. P.; ABRAHÃO, M. H. M. B. (orgs.) Sentidos, Potencialidades e Usos da (auto)biografia. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. p.193-210.

ONU. Unesco. Diretrizes para a formulação de planos nacionais de ação para a educação em direitos humanos. Qüinquagésima Segunda Sessão da Assembleia Geral, 20 de outubro de 1997. Disponível em: http://www.dhnet.org.br/dados/pp/edh/mundo/onu_diretrizes_planos_nac.pdf. Acesso em: 22 jul. 2020.

ONU. Unesco. Plano de ação: Programa Mundial para Educação em Direitos Humanos. Tradução Ministério da Educação: Brasília, 2012. Disponível em: http://www.dhnet.org.br/dados/textos/edh/br/plano_acao_programa_mundial_edh_pt.pdf. Acesso em: 22 jul. 2020.

PASSEGGI, M. C.; SOUZA, E. C. O Movimento (Auto)Biográfico no Brasil: Esboço de suas Configurações no Campo Educacional. In: Investigación Cualitativa, Madri, v.2, n.1, p. 06-26, 2017. Disponível em : https://ojs.revistainvestigacioncualitativa.com/index.php/ric/article/viewFile/56/36. Acesso em: 22 jul. 2020.

SADER, Emir. Contexto histórico e educação em direitos humanos no Brasil: da ditadura à atualidade. In: SILVEIRA, Rosa Maria Godoy et al. Educação em direitos humanos: Fundamentos teórico-metodológicos. Editora Universitária: João Pessoa, 2007. p.75-83

SILVA, A. M. M.; TAVARES, C. Educação em direitos humanos no Brasil: contexto, processo de desenvolvimento, conquistas e limites. In: Educação, v. 36, n. 1, 15 fev. 2013. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/12315. Acesso em: 22 jul. 2020.

SOUSA, Nair Heloisa Bicalho de. Trajetória histórica e desafios da educação em direitos humanos no Brasil e na América Latina. Revista Esmat, [S.L.], v. 9, n. 13, p. 87-102, 19 dez. 2017. Disponível em: http://esmat.tjto.jus.br/publicacoes/index.php/revista_esmat/article/view/200. Acesso em: 22 jul. 2020.

TOSI, Giuseppe; FERREIRA, Lúcia de Fátima Guerra. Educação em Direitos Humanos nos sistemas internacional e nacional. In: FLORES, Elio Chaves; FERREIRA, Lúcia de Fátima Guerra; MELO, Vilma de Lurdes Barbosa (orgs.). Educação em Direitos Humanos & Educação para os Direitos Humanos. Editora Universitária da UFPB: João Pessoa, 2014. p.37-63




DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v9i17.646

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Felipe Rodrigues da Silva, Raquel Alvarenga Sena Verena

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia