Crianças nos templos das Musas: mediadores culturais, processos de significação e aprendizagens em museus

Maria Fernanda Van Erven, Sonia Regina Miranda

Resumo


O objetivo deste artigo é oferecer ao leitor – especialmente aos educadores que atuam em instituições museais e/ou em escolas que buscam explorar o potencial pedagógico existente nos espaços educativos da cidade – reflexões derivadas de uma investigação desenvolvida entre os anos de 2011 e 2013 junto ao Programa de PósGraduação em Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Aquela pesquisa dedicou-se a compreender as aprendizagens que se processam em museus buscando qualificar em que medida as instituições museais podem funcionar como espaços potentes no sentido de engendrar práticas pedagógicas múltiplas e criadoras na sala de aula. Por isso pensamos na ambígua relação que se pode focalizar envolvendo crianças se relacionando com o Tempo no interior dos novos Templos das Musas. Priorizou-se a compreensão sobre os processos de significação produzidos por crianças no interior de museus, partindo-se da aposta política na ideia de que, enquanto espaços educadores presentes e/ou possíveis de existir nas cidades, o direito à cidade representa também o direito à cultura da/na cidade e, acima de tudo, o direito à memória.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v3i6.139

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Maria Fernanda Van Erven, Sonia Regina Miranda

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia