Ouro Preto de todos os tempos: sentidos e efeitos do patrimônio na condição histórica da cidade

Rosiane Ribeiro Bechler, Júnia Sales Pereira

Resumo


Dentre os demais estados, Minas Gerais é um dos que confere ao Brasil substância de seu passado colonial, singularizando e eternizando-se através das políticas de patrimônio e de um discurso fundador do Estado que faz coincidir o período aurífero ao passado requerido pela nação. A cidade de Ouro Preto consolidou-se como o cenário histórico idealconferindo conteúdo suntuoso ao passado histórico da ex-colônia, em um movimento pela história que a legitima como raiz e como memória. O artigo problematiza alguns dos efeitos da patrimonialização, em especial aqueles advindos da singularização desse cenário do barroco mineiro como substrato do histórico, o que configura o silenciamento de outras tantas histórias e memórias que também compõem a história dessa cidade. Considerando, evidentemente, a importância das políticas públicas de patrimonialização, interessa-nos provocar reflexões sobre os seus efeitos de sentido em aulas de história, evidenciando escalas possíveis para compreensão e alargamento dos horizontes de interpretação deste espaço múltiplo que é o de uma cidade “histórica”, patrimônio da humanidade e ícone referencial do passado histórico do Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v3i6.157

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Rosiane Ribeiro Bechler, Júnia Sales Pereira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia