Uma história ensinada para Homer Simpson: negacionismos e os usos abusivos do passado em tempos de pós-verdade

Sônia Meneses

Resumo


O artigo problematiza a emergência de histórias públicas reacionárias e novos negacionismos influenciados pela profusão de narrativas históricas vinculadas aos meios de comunicação e às ideias de pós-verdade. Assim, destacam-se as relações entre história, mídia e ensino, abusos do passado, difusão de narrativas históricas e consumo. Ao final, aponta para os desafios colocados ao próprio lugar da história e dos professores de história frente a essa produção.


Texto completo:

PDF

Referências


CERTEAU, Michel. A invenção do Cotidiano 1- Artes de Fazer. Rio de Janeiro, Ed. Vozes. 1998.

_______ A Escrita da História. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

DE BAETS, Antoon. Uma teoria do abuso da História. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 33, nº 65, p. 17-60 – 2013.

DUNKER. Chistian. Subjetividade em tempo de pós-verdade in Ética e Pós-Verdade. Porto Algre/São Paulo. Dubinense. 2017.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica do Ed. PUC Rio...., 2006.

_______ Estratos do tempo – Estudos sobre história. Rio de Janeiro, ED.PUC-Rio. 2014.

NARLOCH, Leandro. Guia politicamente incorreto da História do Brasil. São Paulo, Leya Editora, 2009.

MELO, Demian Bezerra de. Revisão e revisionismo historiográfico: os embates sobre o passado e as disputas políticas contemporâneas. Marx e o Marxismo v.1, n.1, jul/dez 2013.

PACHECO, Diego. ECOS DA RESISTÊNCIA: Os Grupos dos Onze e os trabalhismos em Santa Catarina (1961 – 1964). Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História. 2012.

FOLHA DE S.PAULO - Holocausto: Revisionista sofre derrota em tribunal - 12/04/2000 - https://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ft1204200010.htm 1/ em 21/10/2018

PONTE JORNALISMO - Justiça de SP: Brasil teve 'suposta ditadura' e Ustra não era torturador 17/10/2018 – em https://ponte.org/para-justica-de-sp-brasil-teve-suposta-ditadura-e-chefe-do-doi-codi-nao-era-torturador/ 19/10/2018

G1 – São Paulo TJ derruba decisão que mandou Ustra pagar indenização à família de jornalista morto na ditadura. https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2018/10/17/tj-derruba-decisao-que-mandou-ustra-pagar-indenizacao-a-familia-de-jornalista-morto-na-di…

FOLHA PODER - Toffoli diz que hoje prefere chamar golpe militar de 'movimento de 1964' - 01/10/2018 em https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/toffoli-diz-que-hoje-prefere-chamar-ditadura-militar-de-movimento-de-1964.shtml 21/10/2018

EMIR LARANGEIRA: MEMÓRIA 1964 - O dossiê do braço armado de Brizola https://emirlarangeira.blogspot.com/2018/09/memoria-1964-o-dossie-do-braco-armado.html?m=1&fbclid=IwAR0hfdl4aiGN---RIWsqpPrIIq6ypnz7gp2unyId5FmatiQktW1hXtjG5BQ em 01/11/2018

MEMÓRIA 1964 - O dossiê do braço armado de Brizola www.ternuma.com.br/index.php/2013-08-22-03-34-31/373-memoria-1964-o-dossie-do-braco-armado-de-brizola em 21/10/2018




DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v8i15.522

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Sônia Meneses

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia