Entre o esperado e o real: tecnologias digitais, ensino e manuais didáticos de História

George Leonardo Seabra Coelho, Luiz Silva Gustavo Martins da Silva, Talita Seniuk, Thálita Maria Francisco da Silva

Resumo


A “a cultura da convergência” informacional e a acelerada mudança nas relações sociais com as novas Tecnologias Digitais estão impactando nos ambientes escolares de forma contundente. No Ensino de História, em particular, essa cultura apresenta-se como uma problemática na medida em que desafia os professores e historiadores a se convergirem com um mundo cada vez mais digital, principalmente em suas aulas. Como os manuais didáticos de História os orientam para o exercício pleno de suas funções e na sua interface com as Tecnologias Digitais? Esta é a questão central que buscamos responder e, ao mesmo tempo, abrir possibilidades de resolução do problema. Este estudo propõe, então, uma análise que alinhe os manuais e as tecnologias com a formação e a prática docentes, e contribui para o processo de ensino, pesquisa e aprendizagem em História.

 


Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BELLONI, Maria Luiza. Mídia-educação: Contextos, histórias e interrogações. In. FANTIN, Mônica; RIVOLTELLA, Pier Cesare. Cultura digital e escola: Pesquisa e formação de professores. Campinas: Papirus, 2010.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Ensino de história: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2009.

BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de Política. Brasília: Universidade de Brasília, 1998.

BOULOS JUNIOR, Alfredo. História sociedade & cidadania (9°). São Paulo: FTD, 2019.

BRASIL, Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Lei n° 13.005/14. Plano Nacional de Educação. Brasília: Ministério da Educação, 2014.

BRASIL. Lei n° 9.394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Ministério da Educação, 1996.

BRASIL. Programa Nacional do Livro Didático. Disponível em: . Acesso em: 03 fev. 2022.

BRASIL. Resolução CNE/CP n° 2/17. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Conselho Nacional de Educação, Ministério da Educação, 2017.

BRZEZINSKI, I. (Org.). LDB Interpretada: diversos olhares se entrecruzam. São Paulo: Vozes, 1997.

CAMPOS, F.; CLARO, R.; DOLHNIKOFF, M. História Escola e Democracia. São Paulo: Moderna, 2018.

COTRIM, G.; RODRIGUES, J. Historiar 9° ano: ensino fundamental anos finais. São Paulo: Saraiva, 2018.

FANTIN, Mônica; RIVOLTELLA, Pier Cesare. Cultura digital e escola: Pesquisa e formação de professores. Campinas: Papirus, 2012.

GIDDENS, A. As consequências da modernidade. São Paulo: Unesp, 1991.

GOMES, Wilson. A democracia no mundo digital: história, problemas e temas. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2018. e-PUB.

GUIMARÃES NETO, E.; GUIMARÃES, J. L. B.; ASSIS, M. A. Educar pela sociologia: contribuições para a formação do cidadão. Belo Horizonte: RHJ, 2012.

JENKINS, Henry. Cultura da conexão [livro eletrônico]: criando valor e significado por meio da mídia propagável. São Paulo: Aleph, 2015. ePUB

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2013. ePUB

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e as alterações no espaço e tempos de ensinar e aprender. Da escola presencial à escola virtual. As tecnologias e as mudanças necessárias as instituições de ensino e no trabalho docente. In: KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial a distância. Campinas, SP: Papirus, 2003. p. 29-68

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias, vida contemporânea e organização temporal. Organização temporal na educação escolar. Tempos tecnológicos e uma nova cultura de ensino e aprendizagem. In: KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e tempo docente. Campinas, SP: Papirus, 2013. p. 41-68

KENSKI, Vani M. Verbete Cultura Digital. In: MILL, Daniel (org.). Dicionário Crítico de Educação e Tecnologias e de educação a distância. Campinas: Editora Papirus, 2018.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Sociologia Geral. 7ª ed. São Paulo: Atlas, 2014.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.I]

MARTINS, I. Problemas e Perspectivas Sobre a Integração CTS no Sistema Educativo Português. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciências, 1, 1. Em http://www.saum.uvigo.es/reec/volumenes/volumen1/Numero1/Art2.pdf

PEREIRA, L.; FORACCHI, M. M. Educação e sociedade. 6ª ed. São Paulo: Nacional, 1974.

PRETTO, Nelson de Luca. Uma escola sem/com futuro: educação e multimídia. Campinas, SP: Papirus, 1996.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: Cortez, 1980.

SETTON, Maria da Graça. Mídia e Educação. São Paulo: Contexto, 2020.

VICENTINO, Cláudio; VICENTINO, José Bruno. Teláris história 9° ano: ensino fundamental, anos finais. São Paulo: Ática, 2018.




DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v11i23.924

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 George Leonardo Seabra Coelho, Luiz Silva Gustavo Martins da Silva, Talita Seniuk, Thálita Maria Francisco da Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia