Conhecimento histórico escolar, tempo presente e o uso de documentos audiovisuais no ensino sobre a ditadura militar na educação básica

Alessandra Carvalho, Diego Knack

Resumo


O artigo analisa, a partir de uma experiência realizada em uma turma de 9º ano do ensino fundamental de uma escola da rede municipal do Rio de Janeiro, a potencialidade do uso de músicas e da produção de vídeos pelos alunos em torno do tema da ditadura militar. Considerando as contribuições teóricas que sublinham a epistemologia própria do conhecimento histórico escolar em diálogo com as reflexões acerca da presença do tempo presente nas aulas de História, a análise busca examinar as possibilidades do uso de documentos audiovisuais para a aprendizagem histórica.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências:

ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de; CRUZ, Giseli Barreto da. Ensino de didática: um estudo sobre concepções e práticas de professores formadores. Educação em revista. Belo Horizonte, v. 30, n.04, p. 181-203, out-dez 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010246982014000400009&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 02 de julho de 2017.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: história. Brasília: MEC, SEF, 1998.

CAIMI, Flávia Eloisa. História escolar e memória coletiva: como se ensina? Como se aprende? In: ROCHA, Helenice et al. A escrita da história escolar: memória e historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009, p. 65-79.

CANDAU, Vera. (Org.) A didática em questão. Petrópolis: Vozes, 2012.

CHEVALLARD, Yves. La Transposition Didactique. Grenoble: La Penseé Sauvage, 1991.

DELGADO, Lucília de Almeida Neves; FERREIRA, Marieta de Moraes. História do Tempo Presente e ensino de história. Revista História Hoje, v.2, n.4, p. 19-34, 2003. Disponível em: https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/viewFile/90/70. Acesso em 02 de julho de 2017.

DOSSE, François. História do tempo presente e historiografia. Revista Tempo e Argumento. Revista do Programa de Pós-graduação em História, Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 5-22, jan./jun. 2012.

DURKHEIM, Émile. Educação e sociologia. Tradução de Stephania Matousek. Petrópolis: Vozes, 2013.

FICO, Carlos. História do Tempo Presente, eventos traumáticos e documentos sensíveis - o caso brasileiro. VARIA HISTORIA, Belo Horizonte, vol. 28, nº 47, p.43-59, jan/jun 2012. http://www.scielo.br/pdf/vh/v28n47/03.pdf. Acesso em 7 de julho de 2017.

GABRIEL, Carmen Teresa. Jogos do tempo e processos de identificação hegemonizados nos textos curriculares de História. Revista História Hoje, v. 4, n.8, p.32-56, 2015. Disponível em: https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/view/193. Acesso em 02 de julho de 2017.

----------------------------------- “Exercícios com documentos” nos livros didáticos de história: negociando sentidos da história ensinada na educação básica IN: ROCHA, Helenice Aparecida Bastos, RESNIK, Luís e MAGALHÃES, Marcelo de Souza. A História na escola. Autores, livros e leituras. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009, p. 243-253.

LIBÂNEO, José Carlos. O campo teórico e profissional da Didática hoje: entre Ítaca e o canto das sereias. IN: Encontro Nacional de Prática de Ensino. Trajetórias e processos de ensinar e aprender. Didática e formação de professores. XV ENDIPE. Rio Grande do Sul: EDIPUCRS, p. 234-251, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_nlinks&ref=000145&pid=S01024698201400040000900010&lng=pt. Acesso em 02 de julho de 2017.

LOPES, Alice Ribeiro Casimiro. Conhecimento escolar: ciência e cotidiano. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1999.

MAHEU, Cristina Maria D´Ávila Teixeira. Decifra-me ou te devoro: o que pode o professor frente ao manual escolar. Tese de doutoramento. Universidade Federal da Bahia, 2001. Disponível em: http://www.anped.org.br/biblioteca/item/decifra-me-ou-te-devoro-o-que-pode-o-professor-frente-ao-manual-escolar-0. Acesso em 02 de julho de 2017.

MATTOS, Ilmar Rohloff. “Mas não somente assim!” Leitores, autores, aulas como texto e o ensino-aprendizagem de História. Tempo. Dossiê Ensino de História, Rio de Janeiro, UFF – Departamento de História, v. 11, n. 21, p 5–16, jul./dez. 2006. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/tem/v11n21/v11n21a02.pdf . Acesso em 5 de julho de 2017.

MONTEIRO, Ana Maria Ferreira da Costa. Aulas de História: questões do/no tempo presente. Educar em revista. Curitiba, n.58, p. 165-182, out/dez 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S010440602015000400165&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 02 de julho de 2017.

MONTEIRO, Ana Maria Ferreira da Costa e PENNA, Fernando. Ensino de História: saberes em lugar de fronteira. Educ. Real., Porto Alegre, v. 36, n.1, p. 191-211, jan./abr., 2011. Disponível em: http://www.ufrgs.br/edu_realidade. Acesso em 5 de julho de 2017.

NAPOLITANO, Marcos. A história depois do papel. IN: PINSKY, Carla Bassanezi (org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2005.

ROCHA, Helenice et al. A aula como texto: historiografia e ensino de história. In: ROCHA, Helenice et al. A escrita da história escolar: memória e historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009, p. 13-31.

SILVA, Daniel Pinha. O lugar do tempo presente na aula de história: limites e possibilidades. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 9, n. 20, p. 99 ‐ 129. jan./abr. 2017. jan./abr. 2017. Disponível em: revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/download/2175180309202017099/674. Acesso em 5 de julho de 2017.

SARLO, Beatriz. Cenas da vida pós-moderna. Intelectuais, arte, videocultura na Argentina. Tradução de Sérgio Alcides. 5ª edição. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2013.

SAVIANI, Dermeval. O legado educacional do regime militar. Cad. Cedes. Campinas, vol. 78, n.76, p. 291-312, set/dez, 2008. Disponível em: www.scielo.br/pdf/ccedes/v28n76/a02v2876.pdf. Acesso em 02 de julho de 2017.

SOARES, Olavo Pereira. A música nas aulas de história: o debate teórico sobre as metodologias de ensino. Revista História Hoje, v. 6, nº 11, p. 78-99 – 2017. Disponível em: https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/view/325. Acesso em 07 de julho de 2017.

VILLAÇA, Mariana. Propostas metodológicas para a abordagem da canção popular como documento histórico. Anais do II Simpósio Latino-Americano de Musicologia. Fundação Cultural: Curitiba, 1999.




DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v6i12.391

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Alessandra Carvalho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia