Folhas de ébano: (auto) biografias de escravizados e ensino de história

Alexandra Lima da Silva

Resumo


Este trabalho procura indicar a importância do uso de autobiografias de escravizados no ensino de História, para o qual a compreensão da dimensão educativa das biografias não é novidade. Desde finais do século XIX, livros didáticos de História do Brasil exploram as histórias de vida de personagens considerados célebres, no sentido de fomentar a consciência de nação a partir da exemplaridade dos feitos e fatos dos ditos grandes homens. O processo de renovação da historiografia vem promovendo mudanças, principalmente no entendimento dos escravizados como sujeitos ativos e complexos, dotados de culturas, experiências e saberes. O presente artigo defende que as autobiografias são um caminho para a compreensão dos escravizados como protagonistas e sujeitos da própria história, na luta pela liberdade e pela igualdade.


Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES DO CANTO, Rafael. Olaudah Equiano: a vida de um marinheiro negro no Atlântico do século XVIII e a memória de África. Porto Alegre: Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2015.

AKYEAMPONG, Emanuel & GATES JR, Henry. Dictionary of African biography. Oxford University Press, 2012.

ARFUCH, Leonor. O espaço biográfico. Dilemas da subjetividade contemporânea. Rio de Janeiro, EDUERJ, 2010.

AZEVEDO, Elciene. Orfeu de Carapinha: A trajetória de Luiz Gama na imperial cidade de São Paulo. Campinas, Ed. da Unicamp, 1999.

BAQUAQUA, Mahommah. Biografia de Mahommah Gardo Baquaqua. Um nativo de Zoogoo, no interior da África. São Paulo: Uirapuru, 2017.

BOURDIEU, Pierre. “A ilusão biográfica”. In: FERREIRA, Marieta de Moraes e AMADO, Janaina. (org.). Usos & abusos da história oral. 8ª ed. Rio de Janeiro: FGV. 1996

CARINO, Janaedson. A biografia e sua instrumentalidade educativa. Educação & Sociedade, ano XX, nº 67,Agosto/99.

CASTELNAU, Francis de. Entrevistas com escravos africanos na Bahia oitocentista. Rio de Janeiro: José Olympio, 2006.

CHALHOUB, Sidney; SILVA, Fernando Teixeira da. Sujeitos no imaginário acadêmico: escravos e trabalhadores na historiografia brasileira desde os anos 1980. Cadernos Arquivo Edgard Leuenroth (UNICAMP), v. 14, p. 11-50, 2009.

Crowling, Camillia. O fundo de emancipação “Livro de Ouro” e as mulheres escravizadas: gênero, abolição e os significados da liberdade na Corte, anos 1880. In: Xavier, G., Farias, J, Gomes, F. Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação. São Paulo: Selo Negro, 2012.

DAMATTA, Roberto. “A Fábula das três raças, ou o problema do racismo à brasileira.”In: Relativizando – uma introdução à Antropologia Social. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

DOUGLASS, Frederick. Narrativa da Vida de Frederick Douglass, Um Escravo Americano. Traduzido por Leonardo Poglia Vidal. 2016.

DOUGLASS, Frederick. Narrative of the Life of Frederick Douglass, an American Slave. BOSTON: PUBLISHED AT THE ANTI-SLAVERY OFFICE, 1845.

_________. My Bondage and My Freedom. New York: Miller, Orton & Mulligan, 1855.

___________. Life and Times of Frederick Douglass. BOSTON: DE WOLFE & FISKE CO.1892 (1ª Edição de 1881).

EQUIANO, Olaudah. The Interesting Narrative of the Life of Olaudah Equiano, or Gustavus Vassa, the African written by himself; authoritative text, contexts, criticism. New York: Norton , 1st ed.1789.

GASPARELLO, Arlete. Construtores de identidades: os compêndios de História do Brasil do Colégio Pedro II (1838-1920). Tese de Doutorado em Educação, PUC/SP, 2002.

GENOVESE, Eugene. Roll, Jordan, Roll: The World the Slaves Made. New York: Vintage, 1972.

GLEDHILL, Helen Sabrina. Travessias racialistas no Atlântico negro: reflexões sobre Booker T. Washington e Manuel R. Querino. Salvador, Tese (Doutorado em Estudos Étnicos e Africanos), UFBA, 2014.

GOMES, Angela de Castro. Escrita de si, escrita da História: a título de prólogo. In: GOMES, Ângela de Castro (org). Escrita de si, escrita da História. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2004, p. 7-24.

GOMES, Angela de Castro. “Escrita de si, escrita da História: a título de prólogo”. In: GOMES, Ângela de Castro (org). Escrita de si, escrita da História. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

JACOBS, Harriet. Incidentes na vida de uma escrava, contados por ela mesma. Rio de Janeiro, Campus, 1988.

LARA, Silvia Hunold. Apresentação. Biografia de Mahomman G. Baquaqua. Revista Brasileira de História. Escravidão, ANPUH, Marco Zero, Março/Agosto, 1988, volume 08, n. 16, Disponível em: http://www.anpuh.org/revistabrasileira/view?ID_REVISTA_BRASILEIRA=25.

LOVEJOY, Paul. Identidade e miragem de etnicidade: a jornada de Mahomman Gardo Baquaqua para as Américas. Afro-Ásia, 27 (2002), 9-39. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/21031/13630.

KRUEGER, Robert. Biografia e narrativa do ex-escravo Mahommah Gardo Baquaqua. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1997.

MAESTRI FILHO, Mario. Depoimento de escravos brasileiros. Editora Ícone, 1988.

MANZANO, Francisco. A autobiografia do poeta-escravo. São Paulo: Hedra, 2015.

MATTOS, Hebe. O herói negro no ensino de história do Brasil: representações e usos das figuras de Zumbi e Henrique Dias nos compêndios didáticos brasileiros. In: ABREU, Martha; SOIHET, Rachel; GONTIJO, Rebeca (Orgs.). Cultura política e leituras do passado: historiografia e ensino de história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007, p. 213-226.

______. LUGÃO RIOS, Ana. Memórias do Cativeiro: família, trabalho e cidadania no pós-abolição. Rio de Janeiro: Editora Record, 2005.

MILLER, Randall & SMITH, John. Dictionary of Afro-American Slavery. Greenwood Press, 1988.

MOURA, Clóvis. Dicionário da Escravidão Negra no Brasil. São Paulo: EdUSP, 2004.

MOTT, Luiz. Rosa Egipcíaca: uma santa africana no Brasil.Rio de Janeiro, Editora Bertrand do Brasil, 1993.

NORTHUP, Solomon, 1808-1863. Doze anos de Escravidão. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2014.

POMBO, José Francisco da Rocha. Nossa pátria. Narração dos fatos da Historia do Brasil. Através da sua evolução, com muitas gravuras explicativas. São Paulo: Cia Melhoramentos, 1917.

RIBEIRO, João. Historia do Brasil. Curso Superior. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1900.

ROMERO, Sílvio. A história do Brasil ensinada pela biografia de seus heróis. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1890.

Rosa, S. Quando a escrava Esperança escreveu uma carta. Rio de Janeiro: Pallas, 2012

SENA, Ernesto. Rascunhos e perfis. Brasília: UnB, 1983.

THOMPSON, E. P. O termo ausente: experiência. A miséria da teoria ou um planetário de erros. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

VIANA, Larissa. Negros distintos nas Américas: escrita da História e protagonismo negro no pós-abolição, 1890-1946. Afro-Ásia, v. 52, p. 247-273, 2015.

WASHINGTON, Booker T. The Story of My Life and Work. Cincinnati, Ohio: W.H. Ferguson Company, 1900.

_________. Up From Slavery: An Autobiography. Garden City, NY: Doubleday & Company, INC, 1901.

______. My Larger Education: Being Chapters from My Experience. Garden City, NY: Doubleday, Page. 1911.

_____. Memórias de um negro. Traduzido por Graciliano Ramos. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1940.

XAVIER, Regina. Biografando outros sujeitos, valorizando outra história: estudos sobre a experiência dos escravos. In: SCHMIDT, Benito Bisso. O biográfico: perspectivas interdisciplinares. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2000.




DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v7i14.411

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Alexandra Lima da Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia