Ensino de História, aprendizagem significativa e a atuação do professor: desafios do tempo presente

Naicon Souza Brinco, Maria Aparecida da Silva Cabral

Resumo


O presente artigo discute o impacto e as potencialidades do fenômeno da expansão do ciberespaço e das mídias digitais no ensino de História da educação básica, a partir de uma pesquisa realizada em duas turmas do sexto ano do ensino fundamental, no Estado do Rio de Janeiro. Objetiva-se tecer uma reflexão acerca da construção da aula de história pelo professor-autor em diálogo à educação intercultural, híbrida, no contexto das novas mídias, valorizando a potencialidade do uso da narrativa na construção teórico-metodológica da aula.  Considera-se o fenômeno da expansão da cibercultura no entendimento das formas narrativas que os jovens têm contato em suas vivências e as mediadas pelo professor no espaço escolar, nos processos de ensino e aprendizagem da história escolar.  


Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, José D’Assunção. Teoria da História. Princípios e conceitos fundamentais. Petrópolis: Vozes, 2011.

BENJAMIN, Walter. O Narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In:______. Magia e Técnica, Arte e Política. Obras escolhidas. São Paulo: Brasiliense, 2012. Edição Kindle. p. 3032-3413.

BLOCH, Marc. Apologia da História ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.

CAIMI, Flávia Eloisa; OLIVEIRA, Sandra Regina Ferreira de. Os jovens e a aula de história: entre tensões, expectativas e possibilidades. Revista Educação em Questão, Rio Grande do Norte, v. 44, n. 30, set./ dez, p. 88-109. 2012. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/4082; Acesso em: 28 ago. 2020.

CANDAU, Vera. Memória (s), Diálogos e Buscas: Aprendendo e Ensinando Didática. In: ______. Didática Questões Contemporâneas. Rio de Janeiro: Forma e Ação, 2009. p. 29-46.

CUESTA, Virginia. Enseñanza de la História y enfoque narrativo. Revista História Hoje, v. 4, n. 8, p. 152-173. 2015.

DOSSE, François. História Do Tempo Presente E Historiografia. Revista Tempo e Argumento. Revista do Programa de Pós-graduação em História, Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 5-22, jan./jun. 2012

FERNANDES, Adriana Hoffmann. Narrativa de crianças na sociedade da imagem. Curitiba: Appris, 2019.

FERREIRA, Rodrigo de Almeida. Qual a relação entre a história púbica e o ensino de História? In: MAUAD, Ana Maria et ali. (Org.). Que história pública queremos? São Paulo: Letra e Voz, 2018. p. 29-48.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996

FREITAS, Itamar. Narrativa Histórica. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; OLIVEIRA, Margarida Maria D. (Org.). Dicionário do Ensino de História. Rio de Janeiro: FGV, 2019. p. 173-178.

HARTOG, François. O espelho de Heródoto: ensaio sobre a representação do outro. Editora da UFMG, 1999.

______. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

JENKYS, Henry. Cultura De Convergência. São Paulo: Aleph, 2009.

KALLÁS, Ana Lima. Usos públicos da história: origens do debate e desdobramentos no ensino de história. Revista História Hoje, v. 6, n. 12, p. 130-157, 2017.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado. Rio de Janeiro: PUC Rio/Contratempo, 2006.

LEITE, Miriam Soares. Entre a Bola e o MP3 – Novas Tecnologias e Diálogo Intercultural no Cotidiano Escolar Adolescente. In: CANDAU, Vera (Org.). Didática, Questões Contemporâneas. Rio de Janeiro: Forma e Ação, 2009. p. 121-138.

LUCCHESI, Anita. A história sem fio: questões para o historiador da Era Google. In: XV Encontro Regional de História - ANPUH-Rio. Ofício do Historiador: Ensino e Pesquisa, São Gonçalo, ANPUH-RIO. 2012. p. 1-9. Disponível em: http://encontro2012.rj.anpuh.org/site/anaiscomplementares. Acesso em: 28 ago. 2020.

______. Histórias no ciberespaço: viagens sem mapas, sem referências e sem paradeiros no território incógnito da Web. Cadernos do Tempo Presente, n. 6, p. 01-17. 2014. Disponível em: https://orbilu.uni.lu/handle/10993/31137. Acesso em: 28 ago. 2020.

MADDALENA, Tania Lucía et al. Diário Hipertextual Online de Pesquisa: Uma Experiência com o Aplicativo Evernote. In: CAPUTO, Stela Guedes. (Org.). Diário de Pesquisa na Cibercultura: Narrativas Multirreferenciais com os Cotidianos. Rio de Janeiro: Omodê, 2018. p. 91-110.

MAGALHÃES, Marcelo de Souza. História e cidadania: por que ensinar história hoje? In: ABREU, Martha; SOHIET, Rachel. Ensino de História. Conceitos, temáticas e metodologia. Rio de Janeiro: Faperj; Casa da Palavra, 2003. p. 168-184.

MARRACH, Sônia. Outras histórias da educação: Do Iluminismo à Indústria Cultural (1823-2005). São Paulo: UNESP, 2009.

MATTOS, Ilmar R. Mas não somente assim; leitores, autores, aulas como texto e o ensino-aprendizagem de História. Revista Tempo. Departamento de História da UFF. Rio de Janeiro, v. 11, n. 21, p. 5-16, jul. 2006.

MIRANDA, Sonia Regina. Aprender e ensinar o tempo histórico em tempos de incertezas: reflexões e desafios para o professor de história. In: GONÇALVES, M. et al. (Org.). Qual o valor da história hoje? Rio de Janeiro: Editora FGV, 2012. p.243-262.

MONTEIRO, Ana Maria Ferreira da C.; PENNA, Fernando de Araújo. Ensino de história: saberes em lugar de fronteira. Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 36, n. 1, p. 191-211, jan./abr. 2011.

PEREIRA, Nilton Mullet; SEFFNER, Fernando. O que pode o ensino de história? Sobre o uso de fontes na sala de aula. Anos 90. Porto Alegre, v. 15, n. 28, dez, p. 113-128. 2008. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/31560/000697736.pdf?sequence=1 . Acesso em: 20 ago 2020.

RAMOS, Márcia Elisa Teté. O ensino de história na revista Nova Escola (1986-2002): cultura midiática, currículo e ação docente. 2009. 272 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Paraná, 2009.

RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa. Tradução Constança Marcondes Cesar. Tomo I. Papirus: São Paulo, 1994.

______. A Realidade do Passado Histórico. In: ______. O Tempo narrado. Tomo III. Tradução de Claudia Berliner. São Paulo: Martins Fontes, 1997. p. 241-272.

SANTOS, Edméia; CAPUTO, Stela Guedes. Diário de Pesquisa na Cibercultura: Narrativas Multirreferenciais com os cotidianos. Rio de Janeiro: Omodê, 2018.

______; WEBER, Aline. Diários on Line, Cibercultura e Pesquisa Formação Multirreferencial. In: ______. (Org). Diários On line Dispositivo Multirereferencial de Pesquisa Formação na Cibercultura. Whitebooks: Santo Tirso, Portugal, 2014.

SANTOS, Maria Aparecida Lima. Práticas da escrita escolar no ensino de História: indício de significação do tempo em manuscritos escolares. Revista Histórica Hoje, v.4, n. 8, p.104-109, 2015. Disponível em: https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/view/192 Acesso em: 20 ago 2020.

TURIN, Rodrigo. Entre o passado disciplinar e os passados práticos: figurações do historiador na crise das humanidades. Tempo [online]. 2018, vol.24, n.2, p.186-205. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1413-77042018000200186&lng=pt&tlng=pt . Acesso em: 20 ago. 2020.

VYGOTSKY, Lev Semenovich et al. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2008.




DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v9i18.689

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Naicon Souza Brinco, Maria Aparecida da Silva Cabral

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia