História Medieval no Instagram: relatos iniciais de um experimento em curso (2021-2022)

Felipe Augusto Ribeiro

Resumo


Este artigo debate o trabalho de um grupo de pesquisa no Instagram: o Elmo. Ele problematiza: a projeção científica nas redes sociais é capaz de ensejar uma construção pública do conhecimento histórico? A discussão é feita em quatro etapas: 1) discussão teórica sobre a relação entre a História Pública e as mídias digitais; 2) descrição do método de trabalho do Elmo, inserido nessa interface; 3) análise dos dados fornecidos pelo “painel profissional” do Instagram; 4) reflexão, a partir dos relatos dos discentes que participam do projeto, sobre como tem sido a experiência de fazer uma pesquisa cujos processos e produtos se desenvolvem majoritariamente em meios digitais. Como resultado, o trabalho formula uma hipótese: o trabalho nas redes sociais serviria mais para a formação dos discentes-pesquisadores do que o público-alvo das postagens.

Texto completo:

PDF

Referências


ÁLVARO, Bruno Gonçalves. Apontamentos sobre a Internet e o Fluxo do Campo de Ensino e Pesquisa de História Medieval no Brasil. Cadernos do Tempo Presente, n. 4, ed. 4, 2011. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/tempo/article/view/2725. Acesso em: 12 mar. 2022.

ARAÚJO, Valdei Lopes de. “Precisamos melhorar nossa comunicação”. Entrevista concedida à jornalista Cristiane D’Avila. Café História, 25 out 2021. Disponível em: https://www.cafehistoria.com.br/precisamos-melhorar-nossa-comunicacao/. Acesso em: 12 mar. 2022.

ARRUDA, Elcídio Pimenta. Ensino e aprendizagem na sociedade do entretenimento: desafios para a formação docente. Educação, v. 36, n. 2, 2013. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/12036. Acesso em: 12 mar. 2022.

BIRRO, Renan Marques. Ensino de História Medieval, eurocentrismo e BNCC (2015-2018): um debate recente? In: BUENO, André; BIRRO, Renan Marques & BOY, Renato (orgs.). Ensino de História Medieval e História Pública. Rio de Janeiro: Sobre Ontens/UERJ, 2020. Disponível em: https://www.academia.edu/43267428/Ensino_de_Hist%C3%B3ria_Medieval_e_Hist%C3%B3ria_P%C3%BAblica. Acesso em: 12 mar. 2022.

______ & BOY, Renato Viana. Ensino de História Medieval e História Pública: desafios atuais em formato de apresentação. In: BUENO, André; BIRRO, Renan Marques & BOY, Renato Viana (org.). Ensino de História Medieval e História Pública. Rio de Janeiro: Sobre Ontens/UERJ, 2020. Disponível em: https://www.academia.edu/43267428/Ensino_de_Hist%C3%B3ria_Medieval_e_Hist%C3%B3ria_P%C3%BAblica. Acesso em: 12 mar. 2022.

BOVO, Claudia Regina & PINHEIRO, Marcos Sorrilha. História pública e virtualidade: experiências de aprendizagem híbrida no ensino de História. História Hoje, v. 8, n. 16, 2019. Disponível em: https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/view/567. Acesso em: 12 mar. 2022.

______ & DEGAN, Alex. As temporalidades recuadas e sua contribuição para a aprendizagem histórica: o espaço como fonte para a História Antiga e Medieval. História Hoje, v. 6, n. 12, 2017. Disponível em: https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/view/366. Acesso em: 12 mar. 2022.

DABAT, Christine Rufino. O mundo no Medievo: experimentos em Ensino História Medieval no Brasil. Brathair, 21 (1), 2021. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/brathair/article/view/2658. Acesso em: 12 mar. 2022.

JÚNIOR, Francisco de Paula Souza de Mendonça. Futuros de um passado presente: reflexões acerca do ensino de História Medieval e do Renascimento. Brathair, 21 (1), 2021. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/brathair/article/view/2536. Acesso em: 12 mar. 2022.

LIMA, Maria. As diferentes concepções de ensino e aprendizagem no Ensino de História. Fronteiras, v. 11, n. 20, 2009. Disponível em: https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/FRONTEIRAS/article/view/623. Acesso em: 12 mar. 2022.

MACEDO, José Rivair. Repensando a Idade Média no Ensino de História. In: KARNAL, Leandro (org.). História na sala de aula: conceitos, práticas e propostas. São Paulo: Contexto, 2004.

MEDEIROS, Elton O. S. Passados-Presentes e o Ensino de História: Recepções, Releituras e Reapropriações de fontes históricas dentro e fora da sala de aula. Antíteses, v. 13, n. 26, 2020. Disponível em: https://www.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/37397/0. Acesso em: 12 mar. 2022.

PEREIRA, Nilton Mullet. Ensino de História, medievalismo e etnocentrismo. Historiæ, 3 (3), 2012. Disponível em: https://periodicos.furg.br/hist/article/view/3271. Acesso em: 12 mar. 2022.

RIBEIRO, Álvaro Nonato Franco & SIQUELLI, Sônia Aparecida. Práticas do ensino de História Medieval: conhecendo as mentalidades. HISTEDBR On-line, v. 17, n. 4 [74], 2017. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645888. Acesso em: 12 mar. 2022.

VIANNA, Luciano José (org.). A História Medieval entre a formação de professores e o ensino na Educação Básica no século XXI: experiências nacionais e internacionais. Rio de Janeiro: Autografia, 2021. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1u90QbBa34iedo3FSiIl0ia9SSj1ffw1w/view. Acesso em: 12 mar. 2022.

______. Do presente para o passado: uma reflexão sobre o Ensino de História Medieval na Contemporaneidade. Tempo, Espaço, Linguagem, v. 8, n. 2, 2017. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/tel/article/view/10896. Acesso em: 12 mar. 2022.




DOI: https://doi.org/10.20949/rhhj.v11i23.931

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Felipe Augusto Ribeiro

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

       

 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia